Logotipo XV CONGRESSO BRASILEIRO DE ATEROSCLEROSE

Secretaria Executiva

SD Eventos

(11) 3672-6979

Departamento de Aterosclerose

Alameda Santos, 705 – 11º andar, Cerqueira Cesar/SP
(11) 3411-5531

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Desenvolvimento e avaliação de um anticorpo monoclonal (MAB073ASB) contra um antígeno derivado da LDL modificada como biomarcador de desfechos cardiovasculares

Henrique Andrade Rodrigues Fonseca, Viviane Aparecida Rodrigues Sant’Anna, Henrique Tria Bianco, Esteferson Fernandes Rodrigues, Francisco Antonio Fonseca, Maria Cristina Oliveira Izar, Magnus Gidlund
ICB - USP - Instituto de Ciências Biomédicas - São Paulo - SP - Brasil, UNIFESP - Univers. Federal de São Paulo - São Paulo - SP - Brasil

Introdução: A partícula de LDL modificada pode contribuir como biomarcador devido a sua modificação oxidativa que além, de liberar diferentes epítopos imunogênicos, também contribui para a formação da placa aterosclerótica. Para tal, o objetivo do estudo foi o desenvolvimento de um anticorpo monoclonal anti-LDL modificada e avaliação se o mesmo possui um potencial preditor de eventos cardiovasculares futuros. 

Métodos: Em um primeiro momento, foi desenvolvido um anticorpo monoclonal murino (mAb) anti-LDL modificada, com a nomenclatura MAB073ASB, e também um ensaio de ELISA para o uso destes mAbs, afim de detectar o antígeno específico da LDL modificada no plasma sanguíneo. Em um segundo momento realizou-se um estudo para avaliação do potencial preditor de eventos do MAB073ASB em uma coorte, prospectiva com segmento de 10 anos avaliando pacientes com diabetes mellitus tipo 2. Foram realizadas análises do lipidograma, glicemia e marcadores inflamatórios (PCRus) por métodos automatizados. As análises estatísticas foram realizadas avaliando a sobrevida livre de eventos e teste de comparações entre grupos, adotando-se significância estatística quando, p ≤ 0,05.

Resultados: Os ensaios de estabilidade e reconhecimento dos epítopos específicos pelo MAB073ASB não evidenciaram interações à epítopos derivados de proteínas complexas e/ou de alta abundância no plasma. A coorte avaliada foi composta de 321 pacientes com idade média de 59,3 (±8,8) anos, destes 132 (41%) do gênero masculino. Dislipidemia era frequente em 227 (70%) pacientes, bem como hipertensão arterial em 243 (75%).  Os achados laboratoriais demostraram concentrações médias de glicemia de 164 (±63) mg/dL, colesterol total de 201 (±49) mg/dL, LDL-c 131 (±44) mg/dL, HDL-c de 36 (±6) mg/dL e de PCRus de 4,12 (±5,7) mg/dL. A mediana das concentrações de MAB073ASB foi de 61 (56-68) mg/proteínas totais. Durante o segmento foi observado um total de 31 óbitos por causas cardiovasculares. As curvas de Kaplan-Meier demonstraram maiores taxas de mortalidade no gênero masculino (Log Rank 6,87; p=0,012). Neste grupo, também foram observadas uma maior taxa de sobrevida livre de eventos nos indivíduos com valores abaixo do percentil 75 (P75) do MAB073ASB (Log Rank 4,95; p=0,026). O modelo de regressão Cox demostrou uma maior risco de mortalidade cardiovascular [HR=2,40 (CI 95%, 1,17-490; p=0,016)] aos indivíduos com valores acima do P75.

Conclusão: Os achados deste primeiro estudo sugere que valores elevados de MAB073ASB no plasma podem ser um preditor de mortalidade cardiovascular de indivíduos com diabetes tipo 2.

XV CONGRESSO BRASILEIRO DE ATEROSCLEROSE

18 e 19 de agosto de 2017

Realização

Departamento de Aterosclerose
SOLAT

Apoio

SBC

Secretaria Executiva

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web