Logotipo XV CONGRESSO BRASILEIRO DE ATEROSCLEROSE

Secretaria Executiva

SD Eventos

(11) 3672-6979

Departamento de Aterosclerose

Alameda Santos, 705 – 11º andar, Cerqueira Cesar/SP
(11) 3411-5531

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Efeitos da suplementação de B-sistosterol e colesterol na expressão de miR-33a/b em diferentes linhas celulares.

Celma Muniz Martins, Margarida Gama Carvalho, Maria Cristina de Oliveira Izar
FFCUL - Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa - Lisboa - Lisboa - Portugal, UNIFESP - Univers. Federal de São Paulo - São Paulo - SP - Brasil

 A suplementação de fitosteróis têm demonstrado efeitos positivos sobre os níveis de colesterol total e LDL-C., No entanto ainda não está elucidado se os fitosteróis podem alterar a expressão dos miRNAs. Os miRNAs têm sido estudados como possíveis biomarcadores em diversas patologias entre elas a doença cardiovascular (CVD). Estudos recentes demonstraram que miRNAs específicos estão envolvidos na regulação do metabolismo lipídico e participam em todos os estágios da aterosclerose. O miR-33 tem atraído atenção de pesquisadores nos últimos anos, sendo incorporado dentro dos intrões das proteínas de ligação ao elemento regulador do esterol (SREBPs).  O SREBP-2 co-expressa miR-33a, enquanto que miR-33b é co-expresso com SREBP-1. O miR-33a reprime fortemente a expressão de mRNA de ABCA1. Funcionalmente, a expressão de miR-33 em macrófagos resulta em uma diminuição do efluxo de colesterol para apoA1. Estudos sugerem que a inibição do miR-33 endógeno resulta em um aumento na expressão da proteína ABCA1 e um aumento concomitante no efluxo do colesterol para apoA1, indicando que este miR está efetivamente medianizando a repressão de seus genes alvo em níveis fisiológicos.O presente estudo tem como objetivo dar os primeiros passos para abordar as possíveis interações entre fitosteróis e a regulação dependente de miRNA, in vitro.Objetivo: Avaliar a expressão dos miRs 33a e 33b em diferentes linhas celulares em resposta ao tratamento com B-sistosterol e colesterol. Métodos: Os experimentos foram realizados com células HepG-2, Caco-2 e Thp1 as células foram cultivadas em meio apropriados e tratadas por um período de 24h, o tratamento foi dividido em quatro grupos: controle (c), colesterol (Ch), b-sitosterol (Ph) e colesterol mais b-sitosterol (Ch+Ph). As análises de expressão de miRNA foram feitas por qPCR. Sendo analisado os miR-33a, miR33b e  os genes SREBP2, ABCA1 e ABCG1.Resultados: Pode-se observar que houve variação na expressão dos miRs de acordo com os grupos celulares, ocorrendo uma maior variação no miR33 em células Thp1 suplementadas com b-sitosterol quando comparada aos outros grupos. Quanto a analise dos genes ABCA1, ABCG1 e SREBP2, não houve modificações significativas quando comparadas entre grupos, no entanto em células  Thp1 tratadas com b-sitosterol mostraram uma redução do miR-33, SREBP2 e  do gene  ABCA1 quando comparadas com as células tratadas com colesterol. Conclusão: podemos concluir que ocorreu uma variação do mir33 ao tratamento com b-sitosterol, no entanto são necessários novos estudos para uma melhor compreensão da ação dos miRs.

 

XV CONGRESSO BRASILEIRO DE ATEROSCLEROSE

18 e 19 de agosto de 2017

Realização

Departamento de Aterosclerose
SOLAT

Apoio

SBC

Secretaria Executiva

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web