Logotipo XV CONGRESSO BRASILEIRO DE ATEROSCLEROSE

Secretaria Executiva

SD Eventos

(11) 3672-6979

Departamento de Aterosclerose

Alameda Santos, 705 – 11º andar, Cerqueira Cesar/SP
(11) 3411-5531

Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Seleção de pacientes para formação de grupo de portadores de Hipercolesterolemia Familiar em Ambulatório de Lípides na Área de Cardiologia

André Carvalho Yamaya, Filipe Filletti, Adriana Souza, Renato Jorge Alves
SANTA CASA DE SÃO PAULO - São Paulo - SP - BRASIL

Introdução: Hipercolesterolemia Familiar (HF) tem sido cada vez mais diagnosticada. Escores têm sido propostos para uniformizar o diagnóstico. Deve-se suspeitar de HF em adultos com LDL-C > 190 mg/dL e em crianças/adolescentes (<20 anos) com LDL-c >160 mg/dL. A possibilidade de HF é reforçada na presença de história familiar de hipercolesterolemia e/ou DAC prematura. A presença de arco corneano sugere HF quando observada antes dos 45 anos. Parentes em 1° grau têm 50% de chance de HF. Selecionamos pacientes com evidências clínico/laboratoriais sugestivas de HF para iniciar terapêutica hipolipemiante precocemente nesta população. 

Métodos: Foram avaliados pacientes do ambulatório de Lípides, através de análise transversal. A confirmação de HF por análise genética é o padrão-ouro, porém o custo é um fator limitante. Baseamos nosso estudo nos critérios diagnósticos do Dutch MEDPED. De 10 pacientes avaliados, 9 eram mulheres. A idade variou de 22 a 73 anos e a média de colesterol total (CT) foi de 317 mg/dL. A concentração de LDL-c variou de 194-260 mg/dL, média de 230mg/dL. 

Resultados: Da população total, 20% apresentavam história clínica de DAC precoce, 40% tinham história familiar sugestiva de HF e 20% apresentavam xantomas e arco corneano (abaixo de 45 anos). Apenas 10% dos pacientes tinham diagnóstico confirmado de diabetes mellitus (DM) e nenhum era tabagista. A dosagem de triglicérides (TG) evidenciou que 70% apresentavam TG < 200 mg/dL. Quanto ao tratamento, 90% usavam atorvastatina (dose média 47mg/dL), sendo 18% em associação com ezetimiba e 9% em associação com ciprofibrato. Dez por cento usavam sinvastatina, 40mg / dia. Quanto ao escore Dutch MedPed, 60% dos pacientes apresentavam diagnóstico possível de HF (3-5 pontos), 20% diagnóstico provável (6-8 pontos) e 20% diagnóstico definitivo (>8 pontos). 

 

Conclusão: Indivíduos portadores de HF apresentam alto risco de DAC. Sua detecção através de escores clínicos e a instituição de terapêuticas precoces, podem retardar a progressão da doença aterosclerótica e aumentar a sobrevida desta população.

XV CONGRESSO BRASILEIRO DE ATEROSCLEROSE

18 e 19 de agosto de 2017

Realização

Departamento de Aterosclerose
SOLAT

Apoio

SBC

Secretaria Executiva

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web